O vereador Domingos Paz, enfim, se posicionou diante do Boletim de Ocorrência feito pela procuradora geral da Câmara de São Luís, Jéssica Thereza Marques Ribeiro Araújo, afirmando que soube que Domingos Paz teria dito ao vereador Beto Castro que iria armado para a Câmara de Vereadores, mataria outros dois vereadores e se mataria logo em seguida.

Em Nota, Domingos Paz negou qualquer ameaça feita a ninguém e que jamais pegou em uma arma em toda sua vida. Além disso, o vereador se disse vítima de perseguição política e lembrou que foi atacado na última terça-feira (24), no Plenário da Câmara de São Luís. Veja abaixo.

Venho a público, por meio desta nota, esclarecer que estou sendo vítima, mais uma vez, de uma acusação caluniosa e cruel por parte de pessoas que não têm compromisso com a verdade.

Tenho 52 anos, nunca cheguei perto de uma arma de fogo e jamais teria a coragem de tentar algo contra a vida de quem quer que seja, ou contra a minha própria vida.

Minha vida é regida pela Palavra de Deus, na qual a comunhão, o amor ao próximo, a paz e a valorização da vida são princípios inegociáveis.

Como é do conhecimento de todos, na última terça-feira, durante a Sessão Ordinária da Câmara Municipal de São Luís-MA, fui levianamente atacado, mas em nenhum momento eu tentei agredir qualquer vereador ou dirigir palavras de cunho ameaçador a quem quer que seja.

Sempre ajo com todo o respeito que aquela casa exige em relação aos meus pares, pois entendo ser possível um debate divergente e respeitoso.

Reafirmo mais uma vez que estou sendo vítima de uma perseguição política de forma extremamente cruel.

Minha equipe jurídica seguirá tomando as providências cabíveis para a total resolução e esclarecimento dessa acusação sem fundamento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here