O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, preferiu, novamente, não atender à convocação para audiência pública da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados.

A sessão foi marcada para esta terça-feira (24/10), depois da ausência do ministro na mesma comissão em 10 de outubro.

Em ofício encaminhado ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), Dino afirma que as falas de membros da comissão diante de sua ausência anterior se configuram em uma “grave ameaça à sua integridade física”, caso ele comparecesse.

A justificativa do ministro cita falas como “Vem buscar minha arma aqui, seu merda”, do deputado federal Sargento Fahur (PSD-PR).

“Esses fatos objetivos levaram a que o setor de segurança deste ministério recomende o não comparecimento à citada convocação, à vista do elevado risco de agressões físicas e morais, inclusive com ameaças de uso de arma de fogo”, argumenta o ministro.

O presidente da comissão, deputado federal Sanderson (PL-RS), defende que, por não atender à convocação dos parlamentares, Dino comete crime de responsabilidade. Membros da oposição ao governo federal defendem que o ex-governador do Maranhão seja representado à Procuradoria-Geral da República (PGR).

“Em respeito a essa Casa Parlamentar, que tive a honra de integrar, reitero que coloco-me à disposição para comparecer à Comissão-Geral no Plenário para que, simultaneamente, eu possa atender a todos os pedidos de esclarecimento com a devida segurança”, reitera Dino no ofício enviado a Lira.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here