Os deputados Fernando Braide (PSD) e Wellington do Curso (Novo) tiveram os mandatos cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral(TRE-MA) nesta terça-feira (9). O TRE-MA concluiu o julgamento da Ação da Investigação Judicial Eleitoral (Aije) por fraude à conta de gênero contra o PSC e, por 5 a 2, confirmou a cassação de todos os votos da chapa do partido nas eleições de 2022.

Apesar de estarem em outros partidos, os deputados são atingidos diretamente uma vez que foram eleitos pelo PSC. De acordo com a decisão, a fraude foi caracterizada em relação a duas candidatas consideradas laranjas: Claudia Guilhermina e Vitória Gabriela.

Os deputados Wellington do Curso e Fernando Braide recorrerão da decisão ao TRE-MA e o caso será analisado também no Tribunal Superior Eleitoral. Caso não consigam reverter, podem recorrer até ao STF, mas neste caso já fora do cargo. “Iremos recorrer aqui e também brigar lá no TSE”, disse Fernando Braide ao blog do John Cutrim.

Os dois parlamentares apontarão falhas no julgamento e até suspeição de um dos julgadores por envolvimento com a parte interessada. O filho de uma magistrada supostamente estagiava no escritório do filho de um dos autores da ação, segundo os deputados.

Fernando e Wellington alegam que não tiveram participação na formação da chapa e não cometeram crime. De acordo com eles, uma das candidatas citadas como laranja enfrentou durante a campanha problemas de saúde e na família e por isso não teve votação expressiva.

Conluio

Em discursos e entrevistas concedidas desde a última semana, Fernando Braide tem exposto sua opinião sobre a situação e apontado a existência de um conluio que envolve desde acusadores do PSC por suposta fraude à cota de gênero até membros do governo.

“Se existe um conluio, é da parte acusadora, onde são três os acusadores. Um, é do partido do governador e ocupa cargo de secretário de estado; outro é o marido da senadora Eliziane Gama, que tem dois irmãos como membros do governo do estado; além do terceiro acusador que tem relação com membros do TRE, inclusive com uma julgadora do caso”, argumentou o parlamentar em entrevista concedida nesta terça-feira (9).

Coincidência ou não, tanto Fernando Braide quanto Wellington do curso têm, seguidas vezes, se posicionado contra medidas apresentadas pelo Governo do Maranhão, entre elas o aumento de taxas e impostos, criação de novos cargos e secretarias, indicações para o Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA).

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here