Diretora da Casa da Mulher Brasileira desde a fundação, no dia 02 de outubro de 2017, a advogada Susan Lucena Rodrigues deixará o comando do órgão na próxima sexta-feira (05) com a finalidade de desincompatibilização do cargo, como determina a legislação eleitoral.

O motivo? a defensora das causas femininas disputará as eleições deste ano em São Luís, com a finalidade de ocupar uma das 31 cadeiras na Câmara de Vereadores da capital maranhense.

Embora com laços históricos com o PCdoB, estrategicamente, Susan ainda não decidiu por qual legenda enfrentará o pleito eleitoral deste ano.

Susan Lucena foi uma das que começaram no governo Flávio Dino e, diante do exitoso trabalho desempenhado, continuou no cargo por determinação do governador Carlos Brandão.

Antes de ser a primeira diretora da Casa da Mulher Brasileira, ela ocupou o cargo de Secretária Adjunta de Estado da Mulher e atuou para efetivar o trabalho integrado entre os órgãos de proteção à mulher vítima de violência doméstica e familiar para alinhar o serviço de modo centralizado, evitando assim a peregrinação em busca de atendimentos.

– Sobre o histórico

Durante estes quase 7 anos de gestão, Lucena, teve um papel fundamental na implementação de políticas públicas no segmento de combate à violência de gênero, como a elaboração do Decreto do Selo Amigo da Mulher (Decreto nº 33.872/2018) com objetivo de reconhecer anualmente, através de premiações empresas que desenvolveram ações ou projetos de enfrentamento à violência doméstica e de garantia dos direitos das mulheres, conforme regulamento de adesão; e na participação na elaboração do Decreto que criou a Patrulha Maria da Penha, bem como tem atuado para sua em todo o estado; também teve atuação decisiva na criação do Departamento de Combate ao Feminicídio e na criação do Dia Estadual de Combate ao Feminicídio.

No quesito representatividade, exerceu o cargo de maior relevância no Conselho Penitenciário do Maranhão. Na Presidência foi a quarta mulher a ocupar a cadeira, e a primeira eleita em 60 anos.

Coordenou em parceria com a ONU Mulheres o Grupo de Trabalho Interinstitucional para investigar, processar e julgar feminicídios no Maranhão; participou da criação e organização de todas as Semanas Estaduais de Combate ao Feminicídio, que inclusive foi expandida para a região Tocantina. Criou o Projeto Nasce uma Estrela – capacitação e encaminhamento das mulheres vítimas de violência, trabalhando autonomia econômica da mulher para retornar sociedade. Além disso, estabeleceu ações fixas realizadas pela Casa da Mulher Brasileira, como: o Natal Solidário, dia das crianças, dia das mães, dia internacional da mulher, outubro rosa, Páscoa, sarau literário, agosto lilás e o projeto Donas de Si, de empoderamento das mulheres.

Nesses anos mais de 150 mil mulheres foram atendidas na Casa da Mulher Brasileira, muitas parcerias foram realizadas para garantir autonomia econômica para as mulheres. Susan realizou mais de 3000 palestras de conscientização em escolas, empresas e comunidades em todo os Maranhão. Uma trajetória marcante em prol dos direitos da mulheres.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here